Como ensinar educação financeira às crianças

Como ensinar educação financeira às crianças

Para gerir as finanças de maneira saudável, ter conhecimentos sobre educação financeira é absolutamente essencial. Infelizmente, na nossa cultura e no nosso sistema de ensino, esse é um assunto pouco discutido. 

Mas se engana quem acha que educação financeira é somente coisa de adulto. Aprender sobre essas questões desde cedo pode gerar reflexos importantes na vida adulta do seu filho, quando o assunto é gestão de dinheiro. 

Confira algumas dicas que vão te ajudar a ensinar educação financeira para crianças de forma acessível e descomplicada: 

  1. Ao dizer “não” a um desejo do seu filho, explique a sua decisão 

É essencial que você, enquanto adulto responsável pela criança, saiba avaliar o momento de dizer “não” a um desejo do seu filho e não tenha medo de fazê-lo quando necessário.  

Quando estamos crescendo, tudo é uma novidade para nós e quando se trata de dinheiro não é diferente. As crianças não vão compreender a lógica básica sobre gestão de dinheiro se isso não for ensinado a elas.  

Como elas ainda não têm compreensão sobre esse universo, precisam que os pais tenham bom senso para saber negar um pedido quando este não é adequado ao orçamento da família ou não cabe naquele momento. 

Mas é importante que você não apenas negue, mas explique ao seu filho por que ele não pode ter aquele determinado desejo atendido. 

Entender e lidar com as nossas frustações em relação ao que queremos e ao que podemos e precisamos comprar é parte da vida de qualquer adulto. 

Se o seu pequeno ou pequena entende desde cedo que as limitações financeiras existem e que nós temos que nos adaptar a elas, isso pode fazer com que seja mais fácil lidar com isso quando ele for um adulto responsável pelo seu próprio dinheiro.  

Utilize o momento das compras 

Um dos melhores momentos para ensinar a lógica de orçamento e gestão financeira aos seus filhos é durante as suas idas ao supermercado. 

Aproveite esta oportunidade para criar um planejamento que inclua a criança, como uma simples lista de compras, por exemplo, e determine um orçamento para a missão. 

Durante as compras, envolva a criança na experiência: dependendo da faixa etária, dos seus filhos ou filhas, você pode pedir para que eles ajudem na soma dos valores na calculadora ou te ajudando a pegar os itens listados. O importante é se sentir parte da experiência! 

Faça com que a criança entenda que o orçamento e o planejamento devem sempre ser levados em consideração. 

Mas, lembre-se: crianças respondem melhor a estímulos lúdicos, então, tente fazer desse momento uma aventura especial com o seu cuidador.  

Fale sobre o seu trabalho e explique a origem do dinheiro 

Quando nós estamos na fase infantil do nosso desenvolvimento, é comum que questões como dinheiro, emprego, salário e horário de trabalho pareçam muito distantes, quase como se não tivessem nada a ver com a nossa realidade. 

Mas, nós adultos, sabemos que não é bem assim. Sendo assim, isso não deve compreendido dessa forma. Crianças têm uma capacidade incrível para absorver conhecimento, se soubermos sensibilizá-las.  

Por isso, converse com o seu filho sobre as questões práticas ligadas ao seu emprego. Explique como a sua renda tem relação com a escola onde ele estuda, as roupas que ele veste, os brinquedos que ele tem, a casa onde ele mora, etc.  

Também converse com ele, com muito cuidado, sobre crianças que têm vivências diferentes, tente fazer com que seu filho desenvolva empatia por outras pessoas que podem ter dificuldades financeiras que ele não vive. 

Tenha atenção para fazer isso de uma maneira positiva. Crie experiências agradáveis, baseadas em reforços positivos, para que, ao pensar nessas questões, ele tenha boas memórias associadas. Lembre-se que algumas lições como essas podem fazer toda a diferença na vida financeira do seu filho durante a vida adulta. 

Engrenagem Virtual © 2020 | Todos os direitos reservados