Apps baratinhos podem causar um rombo no seu orçamento

Apps baratinhos podem causar um rombo no seu orçamento

Vamos fazer uma avaliação, olhe na tela inicial do seu celular, quantos aplicativos são pagos? Se você tem pelo menos um, esse texto pode ser um alerta para você. A combinação Internet mais cartão de crédito pode ser tentadora e perigosa, porque basta um clique para você assinar um serviço novo.

Músicas, séries, notícias e até editor de fotos, estes serviços costumam ter preços iniciais baixos, o que faz o consumidor pensar que não influencia no orçamento. Mas duas, três, quatro assinaturas, podem fazer a diferença na fatura do cartão. 

O que pode acontecer é você assinar um aplicativo, por exemplo, de edição de fotos para utilizar aquele filtro específico que está na moda entre os internautas. O valor é R$ 2,99 ao mês. Duas semanas depois, as fotos já saíram de moda e você continua pagando aquele aplicativo que provavelmente nunca mais vai usar. É um item na fatura desnecessário.

Neste caso, o ideal é que você analise a fatura mensalmente, aquele aplicativo realmente vai ser necessário mês que vem? Ou você usará com frequência? Se a resposta for não, o melhor é cancelar o serviço. Recomendamos o tempo máximo de 3 meses para pagar um aplicativo sem utilizar. Se um dia precisar novamente, você pode aderir outra vez.

O valor da assinatura também é algo a ser pensado. No mesmo exemplo do aplicativo de fotos, custa R$ 2,99 ao mês, em um ano você vai ter pago quase R$ 50 para editar uma única foto. O mesmo vale para os demais apps, um streaming que custa em média R$ 20, custa R$ 240. Imagine se você tem mais de dois para ver suas séries preferidas, um valor considerável por ano. 

Outro cuidado que deve ser tomado é em relação aos aplicativos que vendem os chamados “boxes”, que são kits com produtos temáticos como canecas, canetas, personagens de filmes e que têm qualidade muito abaixo do esperado. De novo a mesma reflexão vale: esse produto é realmente necessário?

Uma oferta que pode parecer vantajosa é a do primeiro mês grátis, ou a R$ 1,00, por exemplo. Na hora parece uma boa ideia, você pensa que está consumindo aquilo gratuitamente, mas no próximo mês isso passará a ser cobrado. 

Na mesma categoria do primeiro mês grátis está a do primeiro ano com desconto, que é quando você fecha um contrato pagando um certo valor e depois de um ano aumenta além do que você pretendia pagar. A solução também é cancelar o mais rápido possível

Se é fácil aderir às assinaturas, a vantagem é que cancelar também é simples, geralmente. No próprio app ou nas lojas como Play Store e Apple Store é possível cancelar com poucos cliques.

Depois que você deu uma olhadinha em quais aplicativos são pagos, verifique qual foi a última vez que usou, se tem mais de 3 meses, você sabe o que fazer. Faz bem desapegar, sua fatura e suas finanças com certeza serão mais saudáveis sem estes gastos desnecessários. 

Engrenagem Virtual © 2019 | Todos os direitos reservados